COMUNIDADE QUILOMBOLA DO SÍTIO FONSECA COMEMORARÁ DIA NACIONAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA COM GRANDE FESTA

No próximo dia 19 do corrente, a Comunidade Quilombola do Sítio Fonseca, estará comemorando o Dia Nacional da Consciência Negra com a realização de uma grande festa. O evento, que contará com todo apoio da Prefeitura Municipal, terá, como parte da programação festiva, entre outras atrações, um Torneio de futebol de campo, além da apresentação de Grupos de Capoeira, bem como exposição de produtos da cultura e da culinária afro-descendente, a exemplo de comidas típicas e exposição de peças de artesanato. O ponto alto da festividade em comemoração ao Dia Nacional da Consciência Negra acontecerá à noite, ocasião em que será realizada uma grande festa dançante ao som do artista local Cadim dos Teclados e, logo depois, será a vez da apresentação do cantor João Carlos animar todo o público presente.

 

UM POUCO DE HISTÓRIA

Dia da Consciência Negra é comemorado em 20 de novembro em todo o país. A data homenageia o Zumbi, um escravo que foi líder do Quilombo dos Palmares, localizado no atual Estado de Pernambuco. Zumbi morreu em 20 de novembro de 1695. O objetivo do Dia da Consciência Negra é fazer uma reflexão sobre a importância do povo e da cultura africana, assim como o impacto que tiveram no desenvolvimento da identidade da cultura brasileira. A sociologia, a política, a religião e a gastronomia entre várias outras áreas foram profundamente influenciadas pela cultura negra. “Este é um dia de comemorar e mostrar profundo apreço pela cultura afro-brasileira, sem se esquecer da dívida que todo o mundo tem com essa gente em função da escravatura”, informou o prefeito Manoel Bezerra Rabêlo(Nel).

 

Origem do Dia Nacional da Consciência Negra

O Dia da Consciência Negra foi estabelecido pelo projeto Lei nº 10.639, no dia 9 de janeiro de 2003. No entanto, apenas em 2011 a presidente Dilma Roussef sancionou a Lei 12.519/2011 que cria a data, sem obrigatoriedade de feriado. No entanto, atualmente, o Dia Nacional da Consciência Negra é considerado feriado em mais de mil municípios brasileiros.

 

QUEM FOI ZUMBI E SUA HISTÓRIA

No período do Brasil colonial, Zumbi ou Zambi – cuja etimologia da palavra vem do termo zumbe, do idioma africano quimbundo, e significa fantasmaespectro, alma de pessoa falecida – simbolizou a luta do negro contra a escravidão que sofriam os brasileiros de etnia negra. Zumbi morreu enquanto defendia a sua comunidade e lutava pelos direitos do seu povo. Os quilombos, liderados por Zumbi, formavam a resistência ao sistema escravocrata que vigorava, e eram os principais responsáveis pela preservação da cultura africana no Brasil. Zumbi lutou até a morte contra a escravidão, que só viria em 1888, com a abolição oficial da escravatura no Brasil, acontecida com a Lei Área sancionada pela princesa Isabel, cerca de 193 anos depois da sua morte.

Nascimento 1655
Serra da BarrigaCapitania de Pernambuco
Reino de Portugal Brasil Colonial
Morte 20 de novembro de 1695 (40 anos)
Serra Dois IrmãosCapitania de Pernambuco
Reino de Portugal Brasil Colonial
Cônjuge Dandara dos Palmares

Dandara foi uma guerreira negra[1] do período colonial do Brasil, esposa de Zumbi dos Palmares [1][2] e com ele teve três filhos.[1] Suicidou-se (jogou-se de uma pedreira ao abismo) depois de presa,[1] em 6 de fevereiro de 1694, para não retornar à condição de escrava. Sua figura é envolta em grande mistério, pois quase não existem dados sobre sua vida e/ou atos.

Abaixo, imagens de Zumbi dos Palmares:

Zumbi dos Palmares, retratado em pintura de Antonio Perreiras

 

Monumento ao Zumbi, em Salvador, capital do Estado da Bahia

 

Busto de Zumbi dos Palmares em Brasília, capital do País

 

Por: JK Cosme(Jornalista Profissional, sob Registro nº  1217 – DRT 4578/PB).